Lixo se torna o maior perigo para astronautas no Hubble

Possibilidade de que um desses pedaços de material em órbita atinja algum dos astronautas são de 1 em 185

Efe

08 de setembro de 2008 | 21h17

Os restos de satélites e de outros materiais que orbitam em torno da Terra serão o principal perigo para os astronautas que realizarão no mês que vem tarefas de reparação e serviço do telescópio espacial Hubble, revelou nesta segunda-feira, 8, a Nasa, a agência espacial americana. Atlantis prepara-se para a última missão de upgrade do Hubble"Esse é nosso maior perigo", disse John Shannon, diretor do programa de naves, em entrevista coletiva do Centro Espacial Johnson, da Nasa, em Houston (Texas).Segundo Shannon, as possibilidades matemáticas de que um desses pedaços de material em órbita atinja algum dos astronautas são de 1 em 185.Quando se trata de tarefas realizadas ao redor da Estação Espacial Internacional (ISS), essas possibilidades são de 1 em 300, acrescentou.A órbita do Hubble está a aproximadamente 560 quilômetros da Terra, onde é maior a quantidade de materiais de outras naves ou de foguetes. A órbita da ISS é inferior a 400 quilômetros.As tarefas de reparação e serviço do Hubble serão realizadas em uma missão de 11 dias que feita pelo Atlantis no próximo mês.A nave, que foi instalada na plataforma de lançamento no fim de semana passado, partirá no dia 10 de outubro em direção ao observatório espacial.

Tudo o que sabemos sobre:
NasaciênciaespaçoHubble

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.