Lodo do Tietê volta a ser lançado em Carapicuíba

Na madrugada de ontem, 300 caminhões voltaram a fazer três viagens cada um, transportando 14 mil metros cúbicos de lodo retirado pelas obras de aprofundamento da calha do Rio Tietê para a Lagoa de Carapicuíba, na Grande São Paulo. É que o juiz José Marcos Lunardelli, da 17.ª Vara da Justiça Federal, cassou a liminar que proibia o lançamento desse material. Lunardelli atendeu o pedido feito pelo Departamento de Água e Energia Elétrica (Daee) de revisão da liminar concedida no dia 23 de maio pela juíza Luciana da Costa Aguiar Alves Henrique. A medida de suspensão do depósito desse material foi determinada por causa da alegação do Ministério Público Federal de que o lodo continha resíduos tóxicos e estava provocando a morte de peixes e colocando em risco a saúde das pessoas que nadavam na lagoa. O promotor de Justiça do Meio Ambiente do Ministério Público de Barueri, Marcos Mendes Lyra, disse que um grupo de professores que integram o Instituto de Ciência e Tecnologia de Resíduos e Desenvolvimento Sustentável vai recolher amostras do material para análise na semana que vem. "Em 30 dias receberei um laudo parcial e, se houver a concentração de material perigoso, pedirei novamente a interdição da lagoa", disse.

Agencia Estado,

04 de julho de 2003 | 10h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.