Londrinos estão entre os mais ameaçados pelo clima

Os costumeiros lamentos dos britânicos sobre as inclemências do tempo poderiam tornar-se mais freqüentes nas próximas décadas, especialmente entre os londrinos. Eles serão os súditos da coroa que mais sofrerão as alterações do clima, especialmente aquelas referentes ao aquecimento global.Um relatório da United Kingdom Climate Impacts Programme, patrocinado pela London Climate Change Partnership (associação de ONGs, organismos públicos e empresas privadas), apresentado na COP-10, indica que Londres é a cidade mais exposta a inundações no futuro próximo do que qualquer outra na Grã-Bretanha.Isso causaria problemas nas bases dos antigos edifícios londrinos (fato que aumentaria as complicações financeiras das empresas de seguros), no sistema de esgotos e metrô, colocando em colapso o sistema de transporte público.Além disso, parte da população teria que ser deslocada para fora das áreas centrais, fato que causaria uma escalada de preços imobiliários nas áreas suburbanas.O nível do mar na foz do Rio Tâmisa poderia subir 80 centímetros em 2080, o que levaria a grandes gastos em diques e barreiras de defesa para conter o avanço das águas. Não se descarta que pelas complicações geradas, a administração do país tenha que ser trasladada para outra cidade, como Birgmingham.Os londrinos correm riscos de graves problemas no abastecimento de água potável, já que essa metrópole é uma das mais secas do mundo, com um volume de água disponível per capita similar ao de Israel.Os especialistas consideram que entre os anos 2050 e 2080, as temperaturas em Londres poderiam subir entre 2ºC e 3ºC. Os verões serão mais duros e os invernos extremamente mais suaves, com uma redução entre 50% e 100%. Além disso, os invernos ficariam até 50% mais úmidos em 2080. leia mais

Agencia Estado,

12 de dezembro de 2004 | 20h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.