Lua de Saturno parece ter vulcão de gelo

A sonda espacial Cassini detectou o que parece ser um vulcão de gelo na lua Titã, de Saturno. O achado poderia explicar a origem da espessa atmosfera do satélite. As imagens infravermelhas colhidas pela Cassini, atualmente na órbita de Titã, revelam um domo de 32,1 quilômetros. Cientistas supõem que em alguma época o vulcão gerou nuvens de gelo que liberaram metano na atmosfera da lua de dimensões planetárias. Os dados constam da edição desta quinta-feira da revista Nature.Titã é a única lua do Sistema Solar com uma atmosfera significativa, formada por nitrogênio e metano - similar à da Terra primitiva. Isso poderia proporcionar indícios sobre o início da vida em nosso planeta.Há tempos os cientistas especulam sobre a origem dos materiais orgânicos na atmosfera daquela lua. Já imaginou-se que fora formada de mares ou lagos de metano. Mas, imagens recentes da Cassini não mostram nenhuma evidência da presença dessas águas."Interpretar essas características como se tratando de um vulcão de gelo proporciona uma explicação alternativa para a presença de metano na atmosfera de Titã, disse Christophe Sotin, integrante da equipe do espectrômetro visual e infravermelho de cartografia da Cassini.Ainda que o vulcão de gelo esteja inativo, os cientistas acreditam que em outras partes da lua possam existir formações similares que expilam uma mescla de água e metano à atmosfera.No editorial que acompanha o artigo na revista, Louise Prockter, do Laboratório de Física Aplicada da Universidade Johns Hopkins, indicou que, mesmo sendo intrigante, a hipótese do vulcão de gelo pode ser corroboradas com imagens de ainda maior definição.A missão Cassini-Huygens é um projeto conjunto da NASA e da Agência Espacial Européia, lançada em 1997.

Agencia Estado,

08 de junho de 2005 | 21h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.