Efe
Efe

Lua de Saturno tem polos achatados como os da Terra

Descoberta indica que Titã já esteve em uma órbita mais próxima de Saturno há bilhões de anos

Efe,

02 de abril de 2009 | 16h05

Titã, a misteriosa lua de Saturno que se assemelha ao que a Terra era há bilhões de anos, tem outra característica em comum com nosso planta: seus polos são ligeiramente achatados.

 

A descoberta, que foi publicada nesta quinta-feira, 2, na revista Science, é um indício de que quando Titã se formou, encontrava-se em uma órbita mais próxima de Saturno, ou passou por uma atividade geológica que explicaria a deformação do astro, segundo cientistas da Universidade de Stanford nos Estados Unidos.

 

Os cientistas, liderados por Howard Zebker, alcançaram esta conclusão após estudar os dados de radar dos últimos quatro anos da nave Cassini, da Nasa e da Agência Espacial Europeia (ESA), que estuda as luas de Saturno.

 

As imagens feitas pela Cassini, pelo telescópio Hubble ou a sonda Huygens, que chegou em 2005 ao satélite, não refletem esse pequeno desvio nos polos, que aparecem apenas para os instrumentos de radar da nave, capazes de medir com maior precisão a superfície de Titã, explicou Zebker.

 

O raio de Titã mede cerca de 2.575 quilômetros e é ligeiramente inferior nos polos que no equador. "É como se alguém o tivesse espremido, como se tivesse posto suas mãos nos polos e apertado para dentro", disse.

 

Segundo o engenheiro da Nasa Bryan Stiles, há uma relação direta entre a velocidade em que a lua de um planeta gira sobre seu eixo e ao redor de outro planeta, e o grau de achatamento dos polos.

 

"Titã gira muito devagar para explicar sua forma achatada, o que nos faz pensar que em um tempo passado ela girasse mais rápido e estivesse mais próximo de Saturno, que por seu enorme tamanho e proximidade exerce forças de atração sobre essa lua", disse.

 

Outra das conclusões das medições topográficas feitas pelo radar de Cassini é de que os polos de Titã se encontram mais próximos de núcleo do satélite que o equador, e portanto sua elevação é menor.

 

Isso poderia explicar que a maior parte dos lagos de hidrocarbonetos de Titã se concentram em latitudes elevadas, disse Zebker.

 

Titã é o lugar mais parecido com a Terra de nosso sistema solar e a única lua com uma atmosfera, similar à de nosso planeta há bilhões de anos, antes que houvesse oxigênio no ar. 95% da atmosfera é composto de nitrogênio, 3% de metano e 2% de hidrogênio, outros hidrocarbonetos e possivelmente argônio.

Tudo o que sabemos sobre:
Saturnoespaçociência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.