Lula ganha prêmio. É o Capitão Gancho de Biopirataria

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva ganhou o Prêmio Capitão Gancho de Biopirataria por legalizar o plantio de soja transgênica no Rio Grande do Sul e por autorizar testes de Tecnologias de Uso Genético Restrito. O prêmio promovido pela Coalizão contra Biopirataria, um grupo de organizações não-governamentais de todo o mundo, têm várias categorias. Lula foi classificado como o pior traidor de políticas de conservação de biodiversidade. O resultado foi anunciado na sexta-feira passada durante a 7.ª Conferência das Partes da Convenção sobre Diversidade Biológica, a COP-7, que ocorre na Malásia. O nome de Lula foi inscrito pela Campanha por um Brasil Livre de Transgenicos, que reúne uma série de entidades ambientalistas no País. Na página da Coalizão contra Biopirataria, explica-se que o cerrado e a Amazônia estão sob risco com a decisão do governo brasileiro por abrir a região para o plantio de soja transgênica. Cita ainda que o presidente Lula ignorou a oposição popular.A assessora de políticas públicas do Instituto Socioambiental (Isa), Adriana Ramos, considera ?natural? que o Brasil tenharecebido o prêmio porque autorizou plantio de transgênico sem estudo de impacto ambiental. Mas lembra que o governobrasileiro se redimiu ao defender na Câmara o projeto de biossegurança, que fixa regras mais cautelosas para produção detransgênicos. ?Hoje, o presidente não merecia ganhar o prêmio, teríamos de dar um crédito ao governo?, reparou. A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, que viajou para Kuala Lumpur para participar da COP-7, deverá explicar naconferência as medidas que o governo brasileiro está adotando para proteger o meio ambiente e, ao mesmo tempo, gerar rendae emprego com uso sustentável dos recursos ambientais.Prêmio ? A Coalizão contra Biopirataria é um grupo informal de organizações da sociedade civil, que existe desde 1995. Desdeentão, o grupo aproveita conferências da diversidade para ?premiar? casos graves de biopirataria, saqueadores do conhecimento indígena e de comunidades tradicionais também reconhece os defensores exemplares do meio ambiente. ?Ajude-nos a por em evidência os biopiratas mais ambiciosos, mais ofensivos e mais perigosos do planeta. Somente os mais notórios ganharão oprêmio?, anuncia a página do grupo na internet.

Agencia Estado,

16 de fevereiro de 2004 | 19h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.