Lupa cósmica descobre planeta fora do Sistema Solar

Astrônomos descobriram uma nova maneira de enxergar planetas fora do Sistema Solar, usando o campo gravitacional de estrelas como uma espécie de lupa cósmica. A técnica, conhecida como microlentes gravitacionais, foi usada pela primeira vez para detectar um planeta a 17 mil anos-luz de distância, na constelação de Sagitário.O anúncio foi feito pela Nasa e o estudo será publicado no periódico Astrophysical Journal Letters. O astro é 50% maior do que Júpiter, o maior planeta do Sistema Solar, e fica três vezes mais distante de sua estrela ? uma anã vermelha ? do que a Terra do Sol. A descoberta foi liderada por Ian Bond, do Instituto de Astronomia de Edimburgo, Escócia.Os pesquisadores, na verdade, não enxergam o planeta, mas podem determinar sua presença pela luz que é desviada por ele e pela anã vermelha de uma outra estrela, ainda mais distante, a 24 mil anos-luz.A força gravitacional dos astros mais próximos ?focaliza? a luz da estrela ao fundo, intensificando momentaneamente seu brilho. Por meio desses desvios, os astrônomos conseguiram inferir a presença do planeta, apesar de ele ter apenas 0,4% da massa de sua estrela.O problema é que o fenômeno só ocorre quando planetas e estrelas estão alinhados, o que é raro. Por isso, é preciso observar milhões de estrelas ao mesmo tempo. Ainda assim, os cientistas acreditam que as microlentes serão ideais para a detecção de planetas de pequena massa como a Terra.Todos os planetas extra-solares catalogados até agora (123) são gigantes gasosos, maiores do que Júpiter, detectados por meio das oscilações gravitacionais que causam em suas estrelas.

Agencia Estado,

16 de abril de 2004 | 11h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.