Lutzenberger é enterrado dentro de santuário ecológico

O corpo do ambientalista José Lutzenberger foi enterrado hoje dentro um bosque no Rincão Gaia, um santuário ecológico que ele mantinha em Pantano Grande, no interior do Rio Grande do Sul. Conforme desejo expresso em vida, Lutzenberger foi enrolado num pano, sem sapatos, e colocado na terra sem caixão.Lutzenberger morreu ontem de parada cardíaca, aos 75 anos. Em vida notabilizou-se como defensor da natureza, após abandonar o emprego de executivo da Basf, em 1971. Criou a Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural (Agapan), uma das primeiras entidades ambientalistas do Brasil, forçou o fechamento de indústrias poluidoras, atacou desmatamentos, agrotóxicos e transgênicos. Também ganhou o prêmio The Right Livelihood Award, o Nobel Alternativo e foi ministro do Meio Ambiente do governo Collor.Nos últimos tempos criou polêmica com o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra ao defender os latifúndios do sul do Rio Grande do Sul por formarem, segundo Lutzenberger, um cenário natural intocável.

Agencia Estado,

15 de maio de 2002 | 20h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.