Macacos comem bananas envenenadas e doze morrem

A morte de 12 macacos prego, espécie em extinção, ainda é um mistério para a polícia de Bertioga. Moradores do bairro Indaiá viram os primeiros animais mortos no sábado e chamaram a Polícia ambiental, que encontrou oito macacos e quatro saurês, uma espécie de raposa, mortos aparentemente por envenenamento. No domingo, mais quatro macacos foram recolhidos. A suspeita é de que alguém envenenou bananas com chumbinho, um veneno usado para matar ratos. O soldado Edilson Tavares de Jesus, da Polícia Ambiental, contou que, ao chegarem ao local havia uma concentração de moradores. "Eles estavam muito revoltados como o acontecido, uma vez que tratavam dos animais e tinham uma boa convivência com eles, que desciam da árvore para pegar os alimentos que recebiam". Como Bertioga tem 85% de seu território como área de preservação ambiental, é comum a existência de grandes lotes ainda preservados ao lado de outros ocupados por residências. Os animais recolhidos foram encaminhados à delegacia de polícia da cidade, onde foi registrado um Boletim de Ocorrência e o laudo que comprove a causa da morte dos macacos é aguardado para os próximos dias. "O inquérito para apurar o autor desse crime, dessa maldade, correrá na delegacia", explicou o soldado Tavares. Ele relatou que foram encontradas bananas abertas com manchas pretas. "Tudo leva a crer que foi usado chumbinho para matar os animais". Durante a operação da Polícia Ambiental um fato comoveu os moradores e os próprios policiais: um filhote de macaco prego de poucos dias ainda estava nas costas de sua mãe, que havia morrido. Ele foi levado para a casa de um dos policiais, onde está recebendo os cuidados necessários, e hoje será encaminhado ao Orquidário de Santos para tratamento.

Agencia Estado,

27 de outubro de 2003 | 17h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.