Madeireiros devastam área de 2 mil campos de futebol

O desmatamento e a extração ilegal de madeira no sul do Pará continuam acelerados. Entre o final de agosto e a segunda semana de setembro, uma área superior a 2 mil campos de futebol em Tucumã foi completamente devastada por grupos madeireiros da região, que retiraram espécies nobres como cedro, virola e mogno para comercialização clandestina.O balanço foi feito pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Esta é a segunda vez em menos de 40 dias que os fiscais localizam grandes áreas devastadas no Estado. Em agosto, um desmatamento equivalente a mil campos de futebol foi descoberto em São Félix do Xingu, município vizinho de Tucumã.O Ibama lavrou 31 autos de infração, totalizando R$ 2,2 milhões em multas, apreendeu dez caminhões carregados com madeira, seis motosserras, duas espingardas e até um avião usado pelos madeireiros para espalhar sementes em áreas desmatadas e camuflar os crimes ambientais.Os fiscais também apreenderam 220 metroscúbicos de madeira serrada, 210 metros cúbicos de madeira em toras, 2,09 toneladas de sementes de capim e 800 litros de combustível usados em queimadas para formação de pasto.   leia mais sobre florestas

Agencia Estado,

23 de setembro de 2004 | 15h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.