Maior prêmio ambiental do Sul será entregue amanhã

Em comemoração aos dez anos do ?Prêmio Expressão de Ecologia?, acontece amanhã na sede da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), em Florianópolis, a partir do meio-dia, o evento de premiação das 28 empresas do Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina ganhadoras neste ano. Na oportunidade serão lançados 4 livros tendo como tema o meio ambiente e homenageadas 5 personalidades ambientais da década. Este ano o Prêmio teve recorde de inscrições - 158 cases inscritos sendo 28 deles premiados. A semente do ?Prêmio Expressão de Ecologia?, o maior da região Sul, foi a Conferência das Nações Unidas, que aconteceu no Rio de Janeiro, a Eco 92, que tinha como um de seus vetores a Agenda 21, que balizava a formação de uma geração que começava a ter aulas de educação ambiental nas escolas. O prêmio surgiu em 1993, com o objetivo de estimular as empresas, entidades, Ongs e prefeituras a investirem em meio ambiente. Deu certo. Um de seus antigos jurados, Luiz Carlos Regazzi, coordenador da área de meio ambiente da Confederação Nacional das Industriais (CNI), usou o know-how do prêmio na criação do Prêmio de Ecologia da CNI em 1997. ?Grande parte das empresas ganhadoras do prêmio CNI eram do Sul. Elas já estavam capacitadas, motivadas e mobilizadas pela existência do Prêmio Expressão?, diz Regazzi.Avanços ambientais?O ?Prêmio Expressão? é referência no Sul e um troféu que confere credibilidade à política ambiental das empresas, além de ajudar a multiplicar a preocupação com o meio ambiente?, diz Miguel Milano, presidente da Fundação O Boticário. Na comemoração dos dez anos do prêmio, o novo presidente da CNI, Armando Monteiro, em sua primeira visita ao Sul, estará no evento para uma homenagem especial às indústrias sulistas por sua atuação ambiental.O evento abordará toda a década de avanços ambientais na Região Sul. Usando como base as 800 inscrições de cases registradas nestes dez anos em seu prêmio, a editora Expressão lançará o livro A Onda Verde no Sul, um dos mais completos documentos da transformação de empresas de vilãs ambientais a locomotivas das mudanças no cenário ambiental, conscientizando seus funcionários, as comunidades vizinhas, pressionando prefeituras e suas entidades de classes para criação de câmaras ambientais e ações mais efetivas.De fato, a onda ambiental disseminou-se no Sul nesta década. ?Em qualquer cidade encontraremos agentes ativos e combativos na luta pelo meio ambiente. As crianças formadas com os parâmetros da Eco 92 serão adultos diferentes. Como consumidores, eleitores, empresários, políticos, vão ser agentes ativos dessa transformação?, acredita o sociólogo Antonio Odilon Macedo, coordenador do Prêmio Expressão de Ecologia.Literatura Ecológica Comprovando que a onda verde realmente bateu forte na região, outros três livros tendo como tema o meio ambiente serão lançados durante o evento. Um deles, Pioneiros Ambientais, dos jornalistas e escritores Elmar Bones e Geraldo Hasse, patrocinado pela Copesul, retrata as memórias de alguns lendários ambientalistas gaúchos, como José Lutzemberger e Magda Renner. A Mata Atlântica e Você, da atuante Ong de Rio do Sul, Associação de Preservação do Meio Ambiente do Alto Vale do Itajaí (Apremavi), voltada para a preservação desta mata, reúne informações sobre a agricultura orgânica, enriquecimento da floresta e projetos de manejo. O Meio Ambiente Faz Parte do Nosso Negócio, das Fundações Boticário e Avina, discute a responsabilidade social empresarial.Personalidades AmbientaisO evento de premiação reunirá e homenageará também as personalidades ambientais eleitas em outros anos. São cinco no total, sendo duas de Joinville. Uma delas, Carlos Schneider, da Ciser, ao longo do tempo, comprou várias áreas de mata nativa, especialmente onde se localizavam as nascentes do rio Quiriri, responsável por cerca de 17% da água consumida em Joinville, para proteger suas nascentes. Atualmente cerca de 10% da água consumida pelos joinvilenses estão sob a guarda de Schneider. Sua área de preservação atinge 12 mil hectares, a maior parte de Mata Atlântica, e abriga 20 mil espécies de plantas e árvores nativas catalogadas. E também animais ameaçados de extinção, como jaguatirica, macaco-prego, onça-parda e outros. A outra personalidade ambiental de Joinville, Udo Döhler, além de ações ambientais educativas, construiu o primeiro aterro para resíduos industriais no Sul. Carlos Odebrecht, da Karsten de Blumenau, é a terceira personalidade ambiental catarinense. Tomou contato com os primeiros movimentos ecológicos na década de 60, quando estudava na Europa. Depois de investir na gestão ambiental de sua empresa, de ser um dos mentores da Câmara de Meio Ambiente da Fiesc, passou a ter atuação comunitária principalmente no Rio do Testo, onde fica a Karsten e em cujas águas nadava quando criança, mas que na geração seguinte estava poluída demais para isso. ?Meu sonho era que meus netos pudessem nadar no Testo?, diz.A quarta personalidade ambiental escolhida nos dez anos do prêmio é a lendária ambientalista gaúcha Magda Renner, com forte atuação desde a década de 60 até hoje, e que comanda a Ong Amigos da Terra. Ela falará em nome das personalidades ambientais e é personagem do livro Pioneiros Ambientais que será lançado no evento. A personalidade ambiental deste ano é José Lutzemberger, falecido em maio, que iniciou na década de 70 um aguerrido combate ao uso de agrotóxicos nas lavouras do Rio Grande do Sul. A defesa de punhos cerrados do meio ambiente e da agricultura orgânica, limpa e sustentável, foi a marca do homem que ajudou a moldar o movimento ecológico no Sul do País. Ele será representado no evento por suas filhas Lara e Lilly, que comandam a Ong Gaia, fundada pelo pai.Maiores informações pelo e-mail expressao@expressao.com.br ou pelo site www.expressao.com.brSeguem os quadros com os ganhadores dos três Estados do Sul.GANHADORAS DO PARANÁCATEGORIASUnioeste/ItaipuConservação de Recursos Naturais - Setor PúblicoCopelControle de Poluição - EnergiaVolkswagenControle de Poluição - Montadoras de AutomóveisFundação O BoticárioEducação Ambiental - OngEmaterEducação Ambiental - Setor PúblicoFurukawaGestão Ambiental - Componentes EletrônicosVolvoMarketing EcológicoBoschProduto VerdeTecparTecnologia de Controle AmbientalBarduschControle de Poluição - ServiçosGANHADORAS DO RIO GRANDE DO SULCATEGORIASPREFEITURA E SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE DE PORTO ALEGREGestão Ambiental - Setor PúblicoAGCO DO BRASILGestão Ambiental - Máquinas e EquipamentosSOUZA CRUZGestão Ambiental - Setor PrivadoDSM ELASTôMEROSControle de Poluição - PetroquímicoCORTUME CAXIENSEControle de Poluição - Couro e CalçadosMARCOPOLOControle de Poluição - Montadoras de ÔnibusKEPLER WEBERControle de Poluição - Máquinas e EquipamentosFRAS-LEControle de Poluição - AutopeçasKLABIN CELULOSE RIOCELLManejo FlorestalGANHADORAS DE SANTA CATARINACATEGORIASAGRíCOLA FRAIBURGOAgropecuária - Setor PrivadoEPAGRIAgropecuária - Setor PúblicoILHA DO PAPAGAIOTurismo e Qualidade de VidaMALWEEControle de Poluição - TêxtilCEUSAControle de Poluição - Não-metálicosDALQUIMControle de Poluição - QuímicoTRACTEBEL ENERGIAConservação de Recursos Naturais - Setor PrivadoAPREMAVIConservação de Recursos Naturais - OngJORNAL A NOTíCIAGestão ambiental - Gráficas e editoras

Agencia Estado,

28 de novembro de 2002 | 10h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.