Mais 2,5 t de peixes mortos na Represa do Funil

Mais de sete toneladas de peixes morreram nos últimos dias na Represa do Funil, no Rio Grande, entre os municípios de Lavras e Perdões, no sul de Minas Gerais. Cerca de 2,5 toneladas de peixes, a maioria mandis e mandijubas, apareceram mortos na madrugada desta quinta-feira, a segundamortandade registrada nesta semana na represa.Na última terça-feira, aproximadamente cinco toneladas de peixes morreram no reservatório. O presidente da Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam), Willer Pos, afirmou que os peixes morreram por falta de oxigênio devido a ?um procedimento técnico mal elaborado? durante o fechamento de uma comporta da represa para testes.?Foi um erro operacional?, disse.Segundo Pos, o Ibama já multou em R$ 200 mil o Consórcio do Funil, formado pelas empresas Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) e Companhia Vale do Rio Doce para a construção da hidrelétrica. A Feam irá aplicar também uma multa de 77 mil Ufir?s aos responsáveis.Técnicos da Feam foram enviados ao local para avaliar a extensão da mortandade e irão exigir do consórcio a reposição de alevinos da mesma espécie na área atingida.

Agencia Estado,

28 de novembro de 2002 | 17h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.