Mais 20 t de peixes morrem na Lagoa de Marapendi, no Rio

Mais peixes morreram na Lagoa de Marapendi, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio. Nas estimativas do biólogo Mario Moscatelli, que esteve na lagoa hoje de manhã cedo, havia peixes em três quilômetros de sua extensão e também no Canal de Marapendi, num total de 20 toneladas. Na sexta-feira, dez toneladas de savelhas e carapicus foram recolhidas. Segundo o governo do Estado, a causa das mortes foi a baixa oxigenação das águas, que, por sua vez, foi provocada pelo lançamento de esgotos de favelas e de condomínios do bairro e pela entrada de uma frente fria, que movimentou o lodo do fundo da lagoa.A Superintendência Estadual de Rios e Lagoas (Serla) informou que o problema na Lagoa de Marapendi é diferente do verificado na Lagoa Rodrigo de Freitas, "onde o problema de lançamento de esgotos clandestinos está sob controle e o aumento da temperatura e pouca entrada de água do mar" também levaram peixes à morte - quatro toneladas foram retiradas na semana passada. O lançamento de esgotos nas águas da Lagoa de Marapendi está sendo monitorado por satélite pela Serla, que está também coletando amostras para análise. Os primeiros resultados deverão ser divulgados em 10 dias e os responsáveis serão responsabilizados.Mais de R$ 450 milhões estão sendo investidos no saneamento da Barra e de Jacarepaguá, com o objetivo de salvar as lagoas da região, ainda de acordo com o órgão. A previsão é que as obras planejadas pelo Estado estejam prontas no fim do ano.

Agencia Estado,

29 de janeiro de 2005 | 13h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.