Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Mais de 40 milhões não têm água encanada

Embora quase 98% dos municípios brasileiros já tenham rede de abastecimento de água, 40,6 milhões de pessoas continuam sem acesso à água encanada. O porcentual de habitantes atendidos no País é de 76%. Estes são números detalhados do Atlas do Saneamento, que o IBGE divulgou na segunda-feira, 22 de março, Dia Mundial da Água. O estudo usa dados referentes ao ano 2000.No caso do esgoto doméstico, apenas quatro em cada dez brasileiros são atendidos por redes de coleta. Pelo menos 101,9 milhões de pessoas não têm acesso direto ao esgoto canalizado, e a ampliação dos serviços é muito lenta. Em outro estudo, divulgado há dois anos, os técnicos mostraram que pouco mais da metade dos municípios tinha rede de esgoto.Foram usados como base os dados da Pesquisa Nacional de Saneamento Básico (PNSB), divulgada em 2002, combinados com informações do Censo 2000 e de instituições do governo e universidades. O abastecimento de água, que em 1989 chegava a 95,6% dos municípios brasileiros, chegou a 97,9% em 2000, mas a quase universalização não ocorre no acesso por habitantes.A situação da coleta de esgotos é pior, segundo o estudo, passando de 47,3% dos municípios para 52,2%. A PNSB já havia mostrado que, nos anos 90, o número de municípios aumentou 24% e a abrangência da rede de esgoto cresceu apenas 10%.Falta de investimentos em infra-estrutura, ineficácia na limpeza urbana e má conservação do meio ambiente são os principais fatores que levam às deficiências do sistema de saneamento, segundo a coordenadora do Atlas do Saneamento, Adma Hamam de Figueiredo.

Agencia Estado,

23 de março de 2004 | 14h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.