Manifesto acusa Bush de uso político da ciência

Pelo menos 4 mil cientistas, incluindo 48 ganhadores de Prêmio Nobel, acusaram o governo Bush de distorcer dados e criar obstáculos à atividade científica nos Estados Unidos para atingir objetivos políticos.Num manifesto publicado na sexta-feira, eles afirmam que colegas conceituados foram impedidos de participar de grupos de estudo oficiais por suas convicções políticas.O diretor do Centro de Genoma Humano da Universidade de Stanford, Richard Myers quase teve recusada a indicação para o Conselho Nacional de Pesquisas por recusar-se a responder a uma pergunta sobre o que achava do governo.Falando pelo governo, John Marburger, diretor do Departamento de Política Científica e Tecnológica, disse que o manifesto se baseia em fatos e acusações desencontradas. "Esta administração valoriza e apóia a ciência, como uma necessidade vital de segurança nacional e força econômica", afirmou.

Agencia Estado,

10 de julho de 2004 | 15h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.