Mapa mostra Brasil 'cercado' por água 80 milhões de anos atrás

Cientistas reproduzem desenho das bacias oceânicas do Cretáceo, quando a temperatura da Terra era maior

Da BBC Brasil, BBC

07 de março de 2008 | 16h30

Pesquisadores da Universidade de Sydney, na Austrália, desenvolveram um mapa que reproduz como eram as bacias oceânicas do mundo há 80 milhões de anos. No desenho, o Brasil aparece praticamente "cercado" por água. Os oceanos do Cretáceo, segundo o estudo. Imagem: Divulgação Em um estudo publicado na edição desta sexta-feira, 7, da revista científica Science, os pesquisadores afirmam que o nível do mar era 170 metros mais alto do que o atual. Para reproduzir as bacias oceânicas do período Cretáceo, os cientistas utilizaram dados geofísicos sobre as mudanças ocorridas com a produção da crosta oceânica, a acumulação de sedimentos e as fronteiras das placas tectônicas. O mapa apresenta uma combinação das mudanças do volume das bacias oceânicas ao longo de milhões de anos e do volume de água que seria produzido caso as camadas atuais de gelo do planeta fossem derretidas. Clima quente De acordo com os pesquisadores, o volume de água das bacias oceânicas do Cretáceo era maior do que o registrado atualmente por conta do clima quente na época, que derreteu todas as camadas de gelo da Terra. O cientista Dietmar Müller, que liderou a pesquisa, diz que o estudo pode ajudar os pesquisadores a "entender melhor como a Terra poderá mudar no futuro". O estudo prevê ainda que o nível do mar será reduzido em 120 metros nos próximos 80 milhões de anos. Segundo os cientistas, o aumento do nível do mar, atribuído ao aquecimento global e ao derretimento das camadas de gelo observado atualmente, é apenas uma "breve interrupção na tendência geológica".   BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.