Massa mínima de uma galáxia é 10 milhões de vezes a do Sol

Após calcular a velocidade das estrelas de 23 pequenas galáxias a equipe fez estimativas de suas massas

Efe

27 de agosto de 2008 | 19h33

A massa mínima de uma galáxia é dez milhões de vezes a massa do Sol, segundo um estudo da Universidade da Califórnia publicado nesta quarta-feira, 27, na revista científica britânica Nature. Após calcular a velocidade das estrelas de 23 pequenas galáxias que orbitam ao redor da Via Láctea (a partir das medidas de luminosidade), a equipe liderada por Louis Strigari fez estimativas de suas massas. A luminosidade destas galáxias varia entre um bilhão e 100 bilhões de vezes a do Sol, por isso os cientistas esperavam que as massas variassem em função da intensidade de luz que emitem. No entanto, os cientistas se surpreenderam ao comprovarem que a massa era constante, o que indica que as galáxias menos luminosas têm muita matéria escura, que é um material invisível só detectado por sua força gravitacional. Os cientistas sabem muito pouco sobre as propriedades microscópicas da matéria escura, que compõe mais de 83% do universo. O que se conhece é que a matéria escura determina o crescimento estrutural do universo, atrai matéria normal e está na origem de novas galáxias. Em comunicado, os pesquisadores explicam que a massa mínima de uma galáxia corresponderia ao menor bloco de construção nascido da matéria escura. As estrelas que se formam a partir desses blocos se agrupariam, mais tarde, em galáxias.

Tudo o que sabemos sobre:
espaçociênciaNature

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.