Mata Atlântica receberá 66 milhões de euros

Na próxima quinta-feira, durante a visita do chefe de governo alemão, chanceler Gerhard Schröder, ao Brasil, serão assinados acordos de cooperação financeira para o repasse de 66 milhões de euros para projetos de proteção da Mata Atlântica. Segundo Miriam Prochnow, coordenadora adjunta do Núcleo da Mata Atlântica do Ministério do Meio Ambiente, 15 milhões de euros foram negociados, no final do ano passado, para projetos de conservação de organizações não-governamentais. Esses recursos serão destinados às entidades através dos Projetos Demonstrativos do Programa Piloto para Florestas Tropicais do Grupo dos Sete (PDA/PPG7) da Mata Atlântica. Serão 7,5 milhões de euros em 2002 e 7,5 milhões em 2003.A maior parte dos recursos, porém, será para os governos estaduais, principalmente do Rio de Janeiro, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Acordos bilaterais anteriores já destinaram recursos para projetos em andamento em São Paulo e Paraná. Entre os projetos beneficiados estão corredores ecológicos (manejo de unidades de conservação), proteção das terras e das populações indígenas e monitoramento e controle de desmatamento e queimadas.Serão assinados, ainda, acordos de 1,8 milhão e 1,5 milhão de euros, para apoio técnico no gerenciamento da floresta tropical, respectivamente, na Amazônia e na Mata Atlântica do estado de Minas Gerais. A administração ambiental dos estados do Acre, Amazonas, Pará e Rondônia será reforçada com uma ajuda técnica de 2 milhões de euros.A cooperação ambiental é uma área prioritária no relacionamento entre Brasil e Alemanha, país que é o maior financiador individual do PPG7, o mais amplo programa de cooperação ambiental entre o Brasil e os países do Grupo dos 7.

Agencia Estado,

08 de fevereiro de 2002 | 15h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.