MCT seleciona 35 projetos sobre qualidade da água

O Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) divulgou os resultados do segundo edital para selecionar projetos de pesquisa sobre fornecimento e qualidade da água: 35 propostas foram escolhidas e vão receber, nos próximos dois anos, R$ 4 milhões. Os recursos são oriundos do Fundo Setorial de Recursos Hídricos (CT-Hidro).Eles foram escolhidos entre 286 propostas encaminhadas para seleção. "Existe um interesse enorme em torno do tema. Precisaríamos de R$ 64 milhões para atender a todos", diz Maurício Mendonça, secretário de Política Tecnológica do MCT e coordenador do Comitê Gestor dos Fundos Setoriais.Metade dos projetos aprovados será realizada por grupos do Sudeste, o que não chega a ser surpreendente, considerando que a produção científica nacional está concentrada nessa região. O Estado de São Paulo, por exemplo, tem mais projetos aprovados (9) do que todo o Nordeste (8). A Região Sul teve 9 projetos aprovados e a Centro-Oeste, um. No Norte não houve nenhum projeto aprovado, indicando a carência de grupos de pesquisa consolidados na região e a necessidade de investimentos nesse sentido, disse Mendonça. "Mas isso não significa que não existam pesquisadores de outras regiões trabalhando lá", alerta.Por isso, o Comitê Gestor do CT-Hidro pretende investir, ainda este ano, em ações para consolidar grupos de pesquisa novos e a a fixação de pesquisadores onde há carência, bem como para formar uma rede de pesquisa na área. "A região Norte é muito importante do ponto de vista dos recursos hídricos, por isso é fundamental estimular a fixação dos pesquisadores naquela região."Os dois projetos que vão receber maior volume de recursos vêm de São Paulo. O primeiro será realizado pela equipe do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais da USP e vai receber R$ 289,7 mil para fazer uma análise comparativa do processo de organização de 15 bacias hidrográficas. O segundo é da Embrapa e vai receber R$ 259 mil para desenvolver sensores para detectar contaminação dos recursos hídricos. O terceiro da lista foi apresentado por pesquisadores do departamento de Engenharia Química da Universidade Federal da Paraíba e terá R$ 221, 2 mil para encontrar soluções para dessalinizar águas subterrâneas, a fim de minimizar a falta de água na região Nordeste.

Agencia Estado,

19 de abril de 2002 | 16h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.