Medicamento contra aids protege bebês durante amamentação

A OMS calcula que a cada ano cerca de 150.000 crianças são infectadas com o HIV através da amamentação

EFE

05 de fevereiro de 2008 | 02h35

Um medicamento que ajuda a impedir que as crianças sejam infectadas pelo vírus da aids transmitido por suas mães antes do parto também os protege durante a amamentação, revelou nesta segunda-feira um estudo que reuniu médicos americanos, etíopes, indianos e ugandenses. Segundo os pesquisadores, a possibilidade de transmitir o vírus aos bebês cai para quase a metade em mulheres infectadas com o HIV que recebem um tratamento com o medicamento Nevirapine durante a gravidez. No entanto, o risco de infecção persiste depois do parto quando as mães infectadas amamentam os bebês. Durante uma apresentação a especialistas em aids reunidos em Boston (Massachusetts), os cientistas indicaram que realizaram um teste com 2.000 bebês que receberam Nevirapine ou um placebo entre 2001 e 2007. O objetivo do grupo, liderado pelo epidemiologista Brooks Jackson, da Universidade Johns Hopkins, foi determinar se era possível proteger da infecção os bebês durante pelo menos seis semanas depois do nascimento. "Aos 6 meses de idade, o risco de infecção antes do nascimento ou de morte das crianças que receberam esse regime de seis semanas foi de quase um terço em comparação com crianças que receberam só uma dose", manifestou o especialista. A Organização Mundial da Saúde (OMS) calcula que a cada ano cerca de 150.000 bebês são infectados com o HIV através da amamentação. O medicamento, fabricado pela farmacêutica Boehringer Ingelheim, é comercializado com o nome de Viramune.

Tudo o que sabemos sobre:
Aidstransmissão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.