Pixabay/@geralt
Pixabay/@geralt

Medição do quilo muda e valor passa a ser calculado com fórmula

Medida era feita com base em cilindro de platina guardado desde 1889, que perdeu peso; ampère, kelvin e mol também tiveram mudanças, que valem a partir de 2019

O Estado de S.Paulo

19 Novembro 2018 | 16h46

SÃO PAULO - A partir de maio do próximo ano, a definição mundial que se conhece para o quilograma e outras três unidades de medida será substituída por novos padrões. Aprovada por representantes de 60 países, a mudança é a maior revisão do Sistema Internacional de Unidades (SI) realizada desde a sua criação, em 1960. No caso do quilo, a alteração não terá impacto no dia a dia das pessoas, pois vai consistir no fim do uso de um objeto para realizar a medição e adoção de uma fórmula matemática.

O anúncio foi feito nesta sexta-feira, 16, durante a Conferência Geral sobre Pesos e Medidas. A revisão vai contribuir para a maior precisão para a administração de medicamentos, análises médicas e sistemas de navegação por satélite ou competições esportivas. Também terá impacto na forma de ensinar as unidades de medida, tendo em vista que professores terão de explicar as constantes físicas universais para a definição do que é um quilo.

"É uma mudança radical de paradigma. Desde 1799, o sonho de fixar constantes universais às unidades de medida tem estado na mente de todos os físicos" afirma Estefanía Mirandés, secretária-executiva do comitê consultivo de unidades do Escritório Internacional de Pesos e Medidas.

O quilo era a última unidade a ser definida por um objeto físico, um cilindro de platina e irídio - conhecido como "Grande Quilo" - que estava guardado desde 1889 em Sèvres, na França, mas que, por motivos desconhecidos, perdeu 50 microgramas. Dessa forma, já não era fiel ao peso que se imaginava que a peça tinha.

Com a decisão, o quilograma será definido tendo como base a constante de Planck, fórmula matemática batizada em homenagem a um dos pais da teoria da mecânica quântica, o físico alemão Max Planck. Após anos de realização de experimentos em várias partes do mundo, ficou comprovado que, ao utilizá-la, o resultado tinha o mesmo valor.

Além da unidade básica de peso, o congresso também mudou outras três unidades em função de constantes universais invariáveis: o ampère (unidade de corrente elétrica), o kelvin (unidade de temperatura) e o mol (unidade utilizada para indicar a quantidade de substância). /COM AGÊNCIAS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.