Médico toma posse no Ibama

O médico e pesquisador Marcus Luiz Barroso assumiu nesta segunda-feira a presidência do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) afirmando que há relação direta entre a degradação do meio ambiente e a fome. ?Em locais degradados faltam meios para que a população tire de forma sustentável sua sobrevivência?, disse. Por isso, Barroso quer fazer uma campanha educativa com os excluídos, mostrando que o meio ambiente tratado adequadamentee ajuda a combater a fome. Na área da mata atlântica, um dos biomas mais degradados no País, o projeto de Barroso é estimular a população a ?preservar o que tem ereplantar espécies nativas?.O novo presidente do Ibama, que substitui o funcionário de carreira Rômulo Melo, quer também a ajuda da população para fiscalizar o meio ambiente. A idéia é unir a ?parceria social? à mais moderna tecnologia, empregando satélites e radares, para melhorar a fiscalização do meio ambiente. Barroso pretende formar consórcios com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) para fazer com segurança um diagnósticodas áreas degradadas. O Ibama quer passar a controlar os desmatamentos até em pequenas propriedades.Segundo o presidente do Ibama, o Sul do Pará, o norte do Mato Grosso, Rondônia e o Sul da Bahia, são as ?áreas quentes, onde os desmatamentos fora da lei precisam ser combatidos?. Barroso diz que primeiro tentará reverter o problema com ?discussão e consenso?. Se constatada a ilegalidade, seja da parte do madeireiro ou eventualmente de integrantes do próprio órgão repressor, e a negociação falhar, o Ibama aplicará a lei. ?Quando a negociação não avança, não tem outro jeito, é repressão para valer, com multa e prisão, como diz a lei?, afirma.PossePolíticos e representantes de organizações não-governamentaislotaram o auditório do Ibama para assistir à posse de Barroso, que foi prestigiada ainda pelo primeiro presidente da instituição, Fernando César Mesquita, e pelo ex-ministro de Ciência e Tecnologia Ronaldo Sardenberg. Barroso dirigia o Instituto Nacional de Pesquisa da Amazônia (Inpa), subordindo ao MCT, quando recebeu o convite da ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, para presidir o Ibama.Especializado em medicina tropical, Barroso descobriu uma droga, a pentamidina, que encurta o tratamento de pacientes com leishmaniose.

Agencia Estado,

06 de janeiro de 2003 | 20h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.