Milhares celebram o solstício de verão em Stonehenge

Chegada do verão no hemisfério Norte e do inverno no Sul é marcada com festas tradicionais

Associated Press

21 Junho 2010 | 12h53

O céu se ilumina com os raios da aurora sobre Stonehenge, na Inglaterra. Lefteris Pitarakis/AP

 

Milhares de neopagãos e membros de movimentos "New Age" dançaram e saltaram em alegria nesta segunda-feira, 21, quando o Sol se elevou sobre o círculo de pedras de Stonehenge, marcando o solstício de verão do hemisfério Norte. Na Bolívia,  índios aimará celebraram seu ano novo, que coincide com o solstício de inverno do hemisfério Sul.

 

blog Feliz solstício!

mais imagens Olhar sobre o mundo: solstício 2010

 

Cerca de 20.000 pessoas lotaram o sítio pré-histórico em Salisbury, no sul da Inglaterra, para ver o alvorecer às 4h52, hora local, após uma tradicional festa que já havia durado a noite inteira.

O evento costuma atrair milhares de participantes com estilos de vida alternativos, que aguardam a aurora na Pedra do Calcanhar, um pilar localizado do lado de fora do círculo.

Diferentemente de anos recentes, quando a alvorada foi obscurecida pelo tempo fechado, desta vez o sol brilhante banhou o monumento com luz dourada.

Na Bolívia, índios celebram o ano novo, que coincide com o início do inverno. David Mercado/Reuters

 

"Uma vez em cada dez, Amis ou menos, conseguimos um nascer do sol decente, e este foi dos bons", disse Simon Banton, que atua como voluntário para o English Heritage, a organização que administra o santuário.

 

Enquanto o sol de erguia, uma mulher escalou uma das pedras do círculo e tocou uma corneta de chifre, dando as boas-vindas ao dia mais longo do ano para o hemisfério norte. Tambores, pandeiros e gritos reverberavam ao fundo.

 

"Significa muito para nós... ser britânica e seguir nossas raízes pagãs", disse Victoria Campbell, uma londrina de 29 anos que trabalha no mercado financeiro. Ela estavam com asas brancas e flores no cabelo.

 

A celebração anual em Stonehenge, cerca de 130 km a sudoeste da capital, é uma versão moderna das festas de solstício que representavam, o ponto alto do calendário pré-cristão. 

 

O Sol se ergue entre pilares do monumento de Stonehenge, no solstício. Lefteris Pitarakis/AP

 

A origem do monumento de Stonehenge continua um mistério, mas teorias sugerem que a área era parte de um enorme calendário astronômico. Outros dizem que uma cultura de adoradores do Sol alinhou a estrutura com o nascer e o pôr-do-sol no verão e no inverno, respectivamente.

 

O lugar foi usado como um cemitério para restos cremados desde sua construção, dizem arqueólogos, mas sua função principal continua um mistério.

 

O monumento foi construído em três fases, entre 3.000 a.C. e 1.600 a.C. É uma das atrações turísticas mais populares do Reino Unido. O solstício é uma das poucas ocasiões em que visitantes têm acesso ao círculo interno, que é isolado do público desde 1978, depois de anos de vandalismo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.