Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Ministra britânica faz alerta sobre aquecimento global

A ministra britânica do Meio Ambiente, Margaret Beckett, abriu nesta terça-feira uma conferência científica internacional sobre mudanças climáticas afirmando que não há mais dúvidas de que "as temperaturas continuarão aumentando" e que maiores alterações no clima são quase inevitáveis.A representante do governo britânico defendeu uma "mudança radical" internacional para impedir que o efeito estufa tome proporções devastadoras. "Temos de agir agora para tentar limitar o alcance do efeito estufa no futuro", disse ela.Margaret Beckett assumiu oficialmente a previsão de que a temperatura da Terra deve aumentar entre 1,5 e 6 graus centígrados neste século, e que ondas de calor como a que atingiu a Europa em 2003 podem ser mais freqüentes.As declarações da ministra foram feitas na abertura da conferência intitulada "Evitar a Perigosa Mudança Climática", que reúne cerca de 200 cientistas de todo o mundo no Centro Hadley de Pesquisa e Previsão do Clima, dentro do novo complexo do Serviço Meteorológico na cidade de Exeter, Condado de Devon.Nos próximos três dias, os especialistas analisarão dados sobre o clima no mundo e tentarão definir os níveis de perigo das mudanças climáticas previstas. Segundo a agência Efe, entre os dados levados a análise na reunião estão os relativos às camadas de gelo na Antártida, ao aumento do nível dos mares e aos gases na atmosfera.A diretora do Programa de Previsão do Clima do Centro Hadley de Exeter, Vicky Pope, disse que os gases de efeito estufa que se acumulam na atmosfera terão conseqüências maiores sobre o clima em 30 ou 40 anos.Ambientalistas do Friends of the Earth fizeram um protesto em frente ao edifício para pressionar o governo britânico a promover uma redução dos gases de efeito estufa. Eles aprovam o empenho do governo de Tony Blair em liderar os países ricos em medidas ambientais, mas criticaram a falta de iniciativas em seu próprio território. leia mais

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.