Ministra cobra fim da "satanização" das leis ambientais

A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, recomendou, nesta quinta-feira, que os empreendedores brasileiros não "satanizem" a legislação ambiental e os órgãos governamentais que as implementam, mas que busquem parcerias com as três esferas de Poder e com a sociedade civil organizada para que os projetos saiam das pranchetas de forma integrada com a preservação ambiental. A ministra fez um pronunciamento na abertura do seminário "Licenciamento, Proteção Ambiental e Desenvolvimento", em São Paulo.Seu comentário foi uma respostas às freqüentes queixas de investidores de setores de infra-estrutura como rodoviário, telecomunicações, eletricidade e petróleo sobre as dificuldades para aprovação de licenças ambientais para seus projetos no País, principalmente nas esferas estadual e federal. Para enfrentar esse problema, Marina listou ações adotadas pela administração Lula como a maior integração entre os ministérios e a interlocução externa, os governos federal e estadual, empreendedores e a sociedade civil organizada, inclusive com a participação dos Ministérios Públicos Federal e Estadual.

Agencia Estado,

30 de julho de 2004 | 05h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.