Ministra promete mais rigor contra desmatamento em MT

A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, disse hoje que os números de desmatamento da Amazônia, que mostraram essa semana um crescimento de 6% em relação ao ano passado, foram coletados antes do programa nacional de combate ao desmatamento ter sido iniciado no ano passado. Depois da avalanche de críticas sofridas pelo governo pelo contínuo crescimento do desmatamento, Marina prometeu que, no ano que vem, os números vão cair. "Não queremos estabilidade, não queremos que fiquem em 26, 25 mil hectares. Queremos que os números caiam e em 2005 vão cair. Temos um plano de governo, não são ações pirotécnicas", disse. Marina explicou que as ações do plano começaram a tomar forma a partir do segundo semestre do ano passado, inclusive com a liberação de recursos e a implantação de bases operacionais na Amazônia. Os dados coletados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), usados para a projeção de desmatamento, foram coletados de agosto de 2003 até agosto de 2004. "Intensificamos em mais de 80% as ações de fiscalização nos Estados e já obtivemos resultados. O desmatamento caiu em cinco Estados. Agora, vamos ampliar o trabalho em Mato Grosso e Rondônia, onde houve crescimento e tenho certeza que vamos ter resultados", disse. A ministra respondeu as críticas do governador de Mato Grosso, Blairo Maggi, mas disse que pretende continuar trabalhando com o Estado. Maggi atribuiu a culpa do crescimento do desmatamento em seu Estado ao governo federal, que não tem fiscalizado as áreas com menos de 300 hectares. O governo do Estado tem a responsabilidade de fiscalizar e licenciar as propriedades de mais de 300 hectares. De acordo com Marina, o estado do Mato Grosso recebeu um alto investimento do governo federal e hoje tem o melhor sistema de monitoramento de desmatamento do País. Ainda assim, o Mato Grosso é hoje responsável por 48% das áreas desmatadas entre 2003 e 2004. Em 2003, esse índice era de 42% e em 2002, era 35%. "O governo federal não vai fazer o jogo do empurra-empurra. Estará intensificando cada mais as suas operações no Mato Grosso e estamos convocando o governador para, no lugar de ficar procurando culpados, assumirmos as nossas responsabilidades quanto ao desmatamento na Amazônia", disse Marina.

Agencia Estado,

20 de maio de 2005 | 20h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.