Ministro alemão diz que plano de Bush é coisa de neandertal

Limitação das emissões aos níveis de 2025, proposta pelo presidente dos EUA, seria tímida e insuficiente

Alister Doyle, Reuters,

17 de abril de 2008 | 14h35

O plano dos Estados Unidos para limitar o crescimento da emissão de gases do efeito estufa em 2025 foi descartado como muito tímido e muito atrasado por alguns dos delegados presentes a uma reunião sobre mudança climática em Paris, que reúne representantes de 17 nações.   Na quarta-feira, 16, o presidente George W. Bush revelou um plano para deter o crescimento das emissões americanas até 2025, tornando mais rígida a meta de reduzir o ritmo de crescimento até 2012. EUA e China são os maiores emissores mundiais.   "O discurso do presidente foi frustrante", disse o ministro alemão do Meio Ambiente, Sigmar Gabriel, em nota divulgada em Berlim com o título "Gabriel critica o discurso neandertal de Bush. Derrotança, não Liderança".   Muitos dos delegados reunidos no encontro de Paris, patrocinado pelos EUA, disseram que um ritmo de redução muito mais rápido  seria necessário para evitar os piores efeitos do aquecimento global. A maioria das nações industrializadas diz querer reduzir os níveis de emissão abaixo dos registrados em 1990.

Tudo o que sabemos sobre:
bushaquecimento globalefeito estufa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.