Ministro promete dobrar recursos para ciência e tecnologia

O ministro da Ciência e Tecnologia, Roberto Amaral, prometeu nesta quinta-feira, durante reunião com a presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Glaci Zancan, dobrar até o final do atual governo os recursos para ciência e tecnologia e aumentar para 10 mil o número de doutores formados por ano no Brasil - hoje formam-se cerca de 6 mil por ano.A presidente da SBPC ficou satisfeita com o encontro. "O fato de ele ter vindo nos visitar em nossa casa é uma demonstração de consideração pela entidade", declarou. "Tivemos uma conversa franca e vamos manter o diálogo daqui para a frente. Acertamos que vamos lutar juntos para mostrar à sociedade brasileira que a ciência e a tecnologia fazem parte do dia a dia de todo mundo."Depois da reunião com Glaci, que durou duas horas, o ministro se encontrou com o governador Geraldo Alckmin (PSDB) e, em seguida, com dirigentes da Fiesp. Nas três reuniões, falou sobre seus planos para a pasta.Em relação a São Paulo, Amaral disse que é impossível pensar em uma política nacional de ciência e tecnologia sem levar em conta o Estado. "São Paulo é responsável por 40% da produção científica nacional", disse. "Por isso, estamos aqui em busca de integração e colaboração."Ele acertou com Alckmin a criação de um grupo de trabalho conjunto para estudar formas de parceria entre o Estado e o Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT). Amaral também comentou sobre o orçamento do MCT para este ano e se disse satisfeito com o que foi destinado pela União.São R$ 3,3 bilhões, um aumento de 28% em relação aos RS$ 2,5 milhões do orçamento do ano passado. Na realidade, se os R$ 3,3 bilhões forem efetivamente gastos, o aumento terá sido maior, pois em 2002 houve retenção de verbas do MCT pela área econômica do governo - apenas R$ 2 bilhões foram efetivamente executados.O problema é que parte do orçamento deste ano depende ainda de receitas que não são certas, como a dos fundos setoriais. Pelo menos R$ 500 milhões dependem disso.

Agencia Estado,

23 de janeiro de 2003 | 21h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.