MMA cria 15 áreas sob proteção especial na Mata Atlântica

O Ministério do Meio Ambiente publicou, nesta semana, três portarias criando 15 Áreas Sob Proteção Especial (Aspe) nos estados de Santa Catarina, Paraná, Bahia e Minas Gerais. Segundo o secretário de Biodiversidade e Florestas do MMA, José Pedro de Oliveira Costa, a medida tem o objetivo de proteger importantes remanescentes de Mata Atlântica enquanto estão em andamento os estudos para a criação de unidades de conservação. ?São regiões sob forte pressão, mas onde não tivemos tempo de concluir os processos legais para criar uma unidade de conservação. Com a medida, as áreas ganham um status especial e a fiscalização é intensifica. Se entrarem nas prioridades do novo governo, as novas áreas protegidas estarão aptas a serem decretadas em poucos meses?, diz Oliveira Costa. As áreas incluídas nas portarias abrigam os principais remanescentes de floresta ombrófila mista (matas de araucárias) no Paraná e Santa Catarina, onde a exploração madeireira foi comprovada por ambientalistas, no início do mês, através de sobrevôos e visitas de campo. ?A araucária é a formação de Mata Atlântica em estado mais crítico em termos de proteção da biodiversidade, pois está reduzida a cerca de 2% de sua área original?, explica o secretário.Denúncias de desmatamento e transporte ilegal de madeira no sul da Bahia, região do Corredor Central da Mata Atlântica, também levaram ambientalistas a entrar na Justiça contra o Ibama no Estado e a conseguir a suspensão da emissão de autorizações para transporte de produtos florestais (ATPFs). As futuras unidades de conservação, atualmente sob proteção especial, totalizam 528.930 hectares. Na Bahia, estão as seguintes áreas: Serra das Lontras (nos municípios de Arataca e Uma); Santo Antônio e Belmonte (Santa Cruz Cabrália e Belmonte); Taquara (Belmonte), Ponta Grande (Porto Seguro, Santa Cruz Cabrália); Taipe e Rio do Frade (em Porto Seguro); e Serras de Itamaraju e Guaratinga (Itamaraju, Guaratinga, Itabela e Jucuruçu). Em Minas Gerais, foi declarada Aspe o Alto Cariri, nos municípios de Salto da Divisa e Santa Maria do Salto.Para preservar as araucárias, foram destinadas quatro áreas no Paraná e três em Santa Catarina: Água Doce e Abelardo Luz (em Abelardo Luz) e Ponte Serrada (em Ponte Serrada e Passos Maia), em Santa Catarina; e, no Paraná, Tumeiras do Oeste (Tumeiras do Oeste e Cianorte), Candói (Candói), Palmas (Palmas) e Guarapuava (Guarapuava, Inácio Martins e Cruz Machado), a maior delas, com 120 mil ha.

Agencia Estado,

27 de dezembro de 2002 | 15h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.