MMA quer mais proteção aos recifes de coral

A conservação dos recifes de coral depende quase que exclusivamente da consciência ambiental de seus visitantes e da proteção contra diversos tipos de poluição proveniente do continente. Assim como as delicadas formações minerais das cavernas (espeleotemas), os corais são construídos ao longo de milhares de anos e podem ser destruídos em segundos. Aparentemente resistentes aos olhos de visitantes leigos, muitos deles afloram durante a maré baixa, ao longo da costa do Nordeste, no Brasil, quando são visitados por turistas e curiosos, interessados em ver os peixes, moluscos e crustáceos que ficam ?presos? nas pequenas piscinas até a próxima maré, ou por pescadores e coletores, que dali tiram sua subsistência. O pisoteio excessivo destrói as formações, diminuindo a resistência de todo o recife ao movimento das ondas e privando um grande número de espécies marinhas de abrigo e alimento. A destruição dos corais por métodos inadequados de pesca também atinge os recifes mais distantes da praia, mesmo quando eles não afloram na maré baixa. E entre as formas de poluição mais prejudiciais aos corais está a poluição por sedimentos, derivada da erosão nas margens de rios continentais.Para conscientizar os turistas e comunidades litorâneas sobre as conseqüências do excesso de visitação, o Ministério do Meio Ambiente lançou, hoje (5/6), a Campanha de Conduta Consciente em Ambientes Recifais. ?Além de serem extremamente importantes por sua biodiversidade, os recifes representam fonte de alimento e renda para diversas comunidades?, disse o ministro interino do meio Ambiente, Marcus Pestana, em Porto de Galinhas, em Recife, PE. Durante o lançamento da campanha, foram realizados mutirões de coleta de lixo nos corais, realizadas por mergulhadores voluntários.Os recifes de corais ficam atrás apenas das florestas tropicais, em riqueza de espécies. Eles abrigam um quarto das espécies marinhas conhecidas, incluindo 65% dos peixes. No Brasil, estão presentes em cerca de 3 mil quilômetros de costa, do Maranhão ao Sul da Bahia. No mundo, as maiores concentrações de recifes de corais estão na Austrália, Caribe, Pacífico e África do Sul.

Agencia Estado,

05 de junho de 2002 | 18h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.