MMA rebate críticas de ambientalista relativas ao combate ao tráfico de animais

O secretário de Biodiversidade do Ministério do Meio Ambiente (MMA), João Paulo Capobianco, rebateu as críticas - feitas em entrevista à Agência Estado - do ambientalista Dener Giovanini, diretor da Rede de Combate ao Tráfico de Animais Silvestres (Renctas) e vencedor do Prêmio Sasakawa de Meio Ambiente 2003, atribuído pela Organização das Nações Unidas (ONU). Capobianco revelou-se surpreso com as afirmações do ambientalista, de que o ministério estaria retrocedendo no combate ao tráfico. Segundo ele, ?o MMA tem apoiado diretamente a Renctas em iniciativas como a atual campanha internacional de esclarecimento em aeroportos, para a qual nos responsabilizamos pela impressão de 15 mil cartazes e 20 mil folders, em inglês, francês e espanhol, além de mil exemplares do relatório da entidade para distribuição, via malote diplomático, para as embaixadas?.Capobianco ressalta também, que, pela primeira vez, uma ação específica contra a biopirataria e tráfico de fauna foi incluída no Plano Plurianual de governo - o do exercício 2004-2007. Isso garantirá um trabalho permanente no lugar de ações esporádicas. Além disso, cada estado recebeu uma delegacia ambiental, que tem entre suas principais atribuições o combate ao tráfico, feito em parceria com a Polícia Federal e o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama).?Temos ainda uma parceria entre o Ibama e a Infraero para capacitar agentes de alfândega, de forma que eles possam identificar melhor os truques usados pelos traficantes para esconder os animais, inclusive com colaboração da Renctas?, acrescenta o secretário. ?E o tema está contemplado no âmbito do Conselho de Gestão do Patrimônio Genético, cuja regulamentação está em análise final no ministério, para ser encaminhada à Casa Civil ainda este ano?. Da elaboração desta proposta participaram 38 instituições, governamentais e não governamentais, e nela foram incorporadas várias sugestões da Comissão Parlamentar de Inquérito, a CPI da Biopirataria e Tráfico de Fauna.?O tráfico de animais silvestres não está abandonado neste governo e, portanto, as críticas são absolutamente improcedentes e injustas, além de grosseiras, deixando dúvidas, afinal, sobre as reais expectativas do autor (Giovanini). Se o problema não é falta de recursos e apoio à Renctas, nem falta de iniciativas, ficamos, então, sem saber o que ele está pretendendo?, finaliza.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.