Modelo matemático prevê lesões musculares em atletas

Um novo modelo matemático do corpo humano pode ajudar a identificar atletas sujeitos a contusões antes que elas ocorram. Ele mostra que os esportistas geralmente se apóiam em uma determinada combinação de movimentos, sem conseguir mudá-la facilmente. A repetição leva a lesões.Para identificar os possíveis movimentos de apenas uma ou duas articulações era preciso uma enorme capacidade de cálculo computacional. Mas os matemáticos Rudi Penne, da Universidade Karel de Grote, na Bélgica, e Henri Laurie, da Universidade de Cape Town, na África do Sul, descobriram uma maneira de simplificar a análise dos movimentos corporais com o uso de uma técnica conhecida como geometria projetiva.Segundo a Agência Fapesp, eles conseguiram estudar a relação entre duas linhas em termos de suas orientações, mas sem ter que lidar com as coordenadas.Penne e Laurie acompanharam jogadores de críquete, que costumam se contundir com freqüência. Eles descobriram que a maioria das ações permite que o jogador faça pequenos ajustes nos movimentos mas, em compensação, outras não deixam espaços para mudanças.Como muitas contusões começam na forma de pequenos problemas - por exemplo, microrrupturas musculares que se agravam pelo esforço repetitivo -, nos esportes em que mudanças nos movimentos exigidos não são possíveis, as pequenas lesões tendem a se tornar mais sérias.

Agencia Estado,

02 de setembro de 2004 | 10h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.