Monsanto acusa ong por invasão de fazenda

A multinacional norte-americana Monsanto acusou hoje a Associação e Serviços a Projetos em Agricultura Alternativa (ASPTA) de ter incentivado a ocupação de uma fazenda dela no município paranaense de Ponta Grossa, na semana passada. ?Os membros da jornada agroecologica, que eu considero muito importante, foram até a estação de pesquisa, induzidos pelo ASPTA, e pegaram os produtos que nós manipulamos e os espalharam pela estação, fazendas vizinhas e pela estrada?, afirmou o diretor de assuntos corporativos da Monsanto, Rodrigo de Almeida.Ele aproveitou um seminário, em Brasília, para fazer a denúncia e criticar diretamente o economista e consultor da ASPTA, David Hathaway, palestrante no evento. ?Essa é a denúncia que eu faço aos parlamentares: a ASPTA, do senhor Hathaway, motivou as invasões em Ponta Grossa?, afirmou.Hathaway teve direito de resposta e disse que ?de tão grave, mas de tão inverdadeiro, eu deixo a acusação com os advogados. Para mim, isso é calúnia?.A ASPTA é uma organização não governamental fundada em 1983, no Rio de Janeiro, e desenvolve diversos programas de apoio a pequenos produtores do Paraná a Pernambuco. Segundo informações obtidas na internet, a ong aparece como uma das autoras de uma apostila sobre transgênico, na qual a Monsanto é acusada de se preocupar "mais com os lucros de seus acionistas do que com o interesse público e, para garantir o emprego de suas poderosas e perigosas armas tecnológicas, conta com a subserviência dos poderes públicos".

Agencia Estado,

22 de maio de 2003 | 15h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.