Monsanto cede banco de dados à universidade de Illinois

Com o objetivo de dinamizar a relação entre empresa e agricultores, a Monsanto está transferindo seu banco de dados sobre agricultura de precisão para a Universidade de Illinois (EUA). O novo serviço será disponibilizado na Internet, em inglês, no endereço www.farmopt.org.Segundo o reitor da Faculdade de Ciências Agronômicas, Ambientais e de Consumo da Universidade de Illinois, Robert Easter, a entidade já disponibiliza um serviço de atendimento ao agricultor, mas oferece "respostas gerais" até o momento. Com as informações doadas pela Monsanto, Easter espera fornecer "recomendações altamente precisas para ajudar agricultores a tornarem suas plantações mais rentáveis e produtivas".O banco de dados da Monsanto compartilhado com a Universidade de Illinois começou a ser desenvolvido no final da década de 90 com informações sobre milho, com o objetivo de estabelecer relações entre fatores ambientais e solo, gastos, qualidade da semente, entre outros, e garantir a interpretação de dados gerados pelas tecnologias modernas.A transferência faz parte do programa Novo Compromisso da Monsanto, documento que prevê, entre outros benefícios aos usuários de insumos agrícolas, o compartilhamento de tecnologia visando fomentar a pesquisa pública. Em agosto deste ano, a empresa anunciou o compartilhamento de seis promotores de genes de algodão para a Cotton Incorporated, grupo formado por cotonicultores e importadores norte-americanos para a pesquisa de técnicas de aumento da rentabilidade do algodão.Ainda dentro do projeto, em 2001 e neste ano a empresa doou para a Better Bean Initiative, projeto de pesquisa financiado pelo Conselho Unido da Soja dos EUA (United Soybean Board), três importantes seqüências distintas de marcadores genéticos para acelerar o desenvolvimento de óleos de soja com maior rendimento e mais proteínas.A empresa também cedeu, recentemente, dados para a Academia Russa de Ciências Agrícolas para o desenvolvimento de uma variedade de batata geneticamente modificada resistente à praga do besouro do Colorado.A Monsanto, divisão de defensivos agrícolas e pesquisas sobre sementes genéticas da Pharmacia, deverá ser vendida. A decisão advém de outro negócio, a venda da divisão farmacêutica da Pharmacia, este ano, ao Pfizer. No ano passado, a Monsanto inaugurou e m Camaçari (BA), a primeira fábrica brasileira para a produção de glifosato, princípio ativo para os defensivos agrícolas mais usados mundialmente.

Agencia Estado,

08 de novembro de 2002 | 16h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.