Montanhas congeladas

Imagine só: pesquisadores ligados ao programa Ano Polar Internacional confirmaram nesta semana a existência uma cadeia de montanhas do tamanho dos Alpes, escondida sob o manto de gelo da Antártida. As montanhas, várias delas com mais de 3 mil metros de altitude, estão completamente "enterradas" no gelo. Você poderia caminhar por cima delas sem nem perceber que elas existem. Dá para imaginar quanto gelo você precisa para "enterrar" uma cadeia de montanhas do tamanho dos Alpes? A resposta é que o manto de gelo antártico tem até 4 quilômetros de espessura - mais alto do que as montanhas. O ponto mais espesso tem 4.700 metros, e a média do continente é de 2 mil metros. É muito gelo! E olha que esses Alpes são só um pedacinho da Antártida. O projeto do Ano Polar mapeou uma área de 2 milhões de km2, mas o manto de gelo inteiro da Antártida tem quase 14 milhões de km2 - bem maior do que o Brasil, que tem 8,5 milhões de km2. Ou seja: dava para cobrir o Brasil inteiro de gelo, mais a Argentina inteira, o Uruguai, o Paraguai, o Chile e a Colômbia. O volume dessa massa toda de gelo, segundo a minha enciclopédia Smithsonian, é de 30 milhões de km cúbicos, o que representa nada menos do que 70% de toda a água doce do planeta. Impressionante né? Agora imagine se todo esse gelo "de repente" derretesse e se transformasse em água líquida, por causa de um tal aquecimento global … seria uma catástrofe sem precedentes. Se isso acontecesse, segundo uma matéria da Reuters, o nível dos oceanos no mundo todo aumentaria 57 metros (em outras referências eu encontrei até 70 metros). Todas as áreas litorâneas do planeta ficariam submersas. Santos iria por água abaixo e o Corcovado viraria uma ilhota oceânica. De Nova York, só sobrariam os picos dos prédios mais altos. Imagine quantos cubos de gelo você precisaria jogar numa piscina olímpica para elevar o nível dela em 1 metro. Agora some todos os oceanos da Terra e imagine quantos cubos de gelo você precisar jogar na água para elevar o nível do mar em 1 mísero milímetro que fosse. Já seria MUITO. Imagine então 1 metro, ou 57 metros, ou 70 metros. É tanto gelo que caberia até uma cadeia de montanhas dentro dele. Não é? Essa é uma das grandes ameaças do aquecimento global: o derretimento das geleiras da Antártida, da Groenlândia e de todas as montanhas ao redor do mundo.   Falar em um derretimento completo da Antártida é um exagero até mesmo para os mais pessimistas dos pessimistas. Mas também não precisa tanto: só o "pouquinho" que está derretendo pelas bordas já deverá ser suficiente para aumentar o nível dos oceanos em 1,5 metro, ou mais, nas próximas décadas. E isso já será catastrófico o suficiente para nós.   Estamos progredindo bem, na nossa meta de destruir o planeta.   Pense nisso a próxima vez que ouvir falar em derretimento. Não é brincadeira, não.   Links:  Mapas da Antártida   Ilustração da cadeia de montanhas congelada

27 de fevereiro de 2009 | 15h15

Tudo o que sabemos sobre:
antártidaaquecimento global

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.