Moradores de Recanto dos Pássaros serão removidos

A Prefeitura de Paulínia informou nesta quinta-feira que até esta sexta deverão ser removidos todos os moradores do bairro Recanto dos Pássaros, isolado por um decreto municipal. Segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura, três famílias ainda permaneciam no local,apesar da proibição de acesso e trânsito de pessoas no bairro, conforme prevê odecreto, divulgado nesta quarta-feira.A assessoria não descartou a possibilidade de a Prefeitura solicitar a intervenção judicial, caso algum morador se recuse a deixar o bairro. O isolamento da área, contaminada pela Shell Química do Brasil com organoclorados, foi decidido a partir de uma avaliação da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, conforme aassessoria.Ainda de acordo com a assessoria, a Secretaria entendeu que as chuvas de segunda-feira expuseram os agentes contaminantes. O gerente da Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb) de Paulínia, Luiz Eduardo de Souza Leão, não quis comentar o decreto municipal, mas afirmou que a situação do bairro não foi alterada pela chuva.Segundo o gerente, a Cetesb continua avaliando a proposta da Shell, não divulgada, de remediação da área. Os 32 moradores do bairro estão provisoriamente instalados em um hotel, e a Shell irá negociar individualmente indenizações e compra de propriedades. Das 66 chácaras do Recanto dos Pássaros, cinco ainda não foram adquiridas pela empresa.Leão disse nesta quinta-feira que faltavam ser retirados do Rio Atibaia, em Paulínia, 31 dos 270 tambores arrastados pela chuva do depóstio da Rhodia do Brasil, na segunda-feira à noite. Parte dos tambores continha derivados de ácidoacético. Segundo ele, não havia até esta quinta indícios de vazamento do produto no rio.O gerente explicou que será feita uma análise para verificar impactos ambientais e se a empresa cometeu alguma falha ao armazenar os tambores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.