Moradores de rua são transferidos durante visita do papa

130 pessoas que dormem nos dois parques que abrigam a Jornada da Juventude foram levadas para outras áreas

Ansa

16 de julho de 2008 | 16h24

Um grupo de apoio aos sem-teto de Sydney lamentou que cerca de 130 pessoas que normalmente dormem nos dois grandes parques públicos do centro da cidade, Hyde Park e Domain, tenham sido transferidas pelas autoridades para outras áreas, para dar espaço aos peregrinos durante a semana da Jornada Mundial da Juventude. Veja também: Pais de meninas abusadas por padre pedem audiência com papa Começa em Sydney a Jornada Mundial da Juventude "Estamos surpresos que não tenha havido cuidado justamente com aqueles por quem Jesus veio para a Terra, ou seja, as pessoas desprotegidas, marginalizadas, com a vida destruída", disse o porta-voz da Homeless Voice (ou Voz dos Sem-teto, em tradução livre), Kevin Simpson. A estas pessoas, durante o encontro no último mês de setembro dos chefes de Estado e de governo dos 21 países do grupo de cooperação Ásia-Pacífico, foi oferecido alojamento em hotéis, mas não durante a JMJ, acrescentou Simpson. O coordenador da Jornada, monsenhor Anthony Fisher, assegurou que os organizadores do evento não ordenaram o afastamento dos sem-teto e disse não estar nem mesmo sabendo que tal iniciativa foi tomada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.