Morcego mais antigo já descoberto não tinha radar

O morcego mais primitivo jádescoberto voou por aí há cerca de 52 milhões de anos, mas nãotinha um dos equipamentos mais importantes dos seusdescendentes -- a capacidade de caçar e se deslocar usando umaespécie de radar. Uma equipe científica anunciou na quarta-feira a descobertade um animal de porte médio, batizado de "Onychonycterisfinneyi", que possuía asas plenamente desenvolvidas e eracompletamente capaz de voar. A julgar pelo esqueleto, porém,ele não era capaz de realizar a chamada eco-localização. Kevin Seymour, do Real Museu de Ontário, no Canadá, um dosautores da descrição do animal publicada na revista Nature,disse que esse morcego aparentemente encerra um antigo debatesobre o que surgiu primeiro nos morcegos -- a eco-localizaçãoou o vôo. A resposta é o vôo. "É como se este estivesse a meio caminho de se tornar ummorcego moderno. É o morcego mais primitivo que já conhecemos.Claramente podia voar, mas não podia se eco-localizar. Asevidências na região do crânio e garganta não nos mostramnenhuma das características que os morcegos com eco-localizaçãotêm", disse Seymour por telefone. Os morcegos são o segundo tipo mais comum de mamíferos daatualidade, constituindo um quinto de todas as espécies demamíferos. Só os roedores, que compõem metade dos mamíferos,são mais abundantes. Os morcegos são também uma das formas de mamíferos maisantigas, e os cientistas lutam para entender sua evolução. O"Onychonycteris", achado numa escavação em 2003 no sudoeste doWyoming (EUA), preenche algumas lacunas importantes. "É claramente um morcego, mas diferente de qualquer coisapreviamente conhecida", disse Nancy Simmons, do Museu Americanode História Natural, em Nova York. "Em muitos aspectos, é umelo perdido entre os morcegos e seus ancestrais não-voadores." A eco-localização funciona como uma espécie de radar ousonar. Vários mamíferos usam essa técnica para caçar e selocalizar. Consiste em emitir sons de alta freqüência e avaliaro tempo que o som leva para bater nos objetos e voltar na formade eco. A maioria dos morcegos usa esse radar para capturar insetosem pleno vôo. Baleias, golfinhos e mussaranhos também têm talcapacidade. Os cientistas disseram que o fóssil do "Onychonycteris"está muito bem preservado. Embora o considerem o morcego maisprimitivo, eles dizem que uma espécie com características maismodernas, o "Icaronycteris" viveu na mesma época e já usava aeco-localização.

WILL DUNHAM, REUTERS

13 de fevereiro de 2008 | 17h48

Tudo o que sabemos sobre:
CIENCIAMORCEGOVELHO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.