Morre o criador das cápsulas espaciais

Maxime Faget, o engenheiro pioneiro que projetou as cápsulas originais do projeto Mercury e cujo trabalho ajudou a criar todas as naves espaciais lançadas pela Nasa desde então, morreu no fim de semana em sua casa, em Houston, no Texas (EUA), aos 83 anos. A morte ocorreu no sábado, mas só foi anunciada hoje pela agência espacial americana. A causa não foi revelada."Sem os designs inovadores e a capacidade de resolver problemas de Max Faget o programa espacial americano teria tido problemas para sair do chão", disse o administrador da Nasa, Sean O´Keefe. "Ele também foi um pioneiro da aeronáutica. De fato, foi sua pesquisa sobre vôo supersônico que eventualmente o levou a se interessar pela área espacial."A carreira de Faget com a Nasa começou em 1946, quando ele entrou para a equipe do Langley Research Center em Hampton, Virgínia, como pesquisador científico. Em 1958, no início da corrida espacial entre os EUA e a extinta União Soviética, ele foi um dos 35 engenheiros selecionados para compor o Space Task Group, que mais tarde daria origem ao Johnson Space Center, em Houston, de onde são comandadas todas as missões espaciais tripuladas da Nasa.Foi Faget quem projetou e desenvolveu as cápsulas espaciais do Projeto Mercury, nas quais os primeiros americanos subiram ao espaço. O primeiro sucesso foi com Alan Shepard na Mercury-Redstone 3, em 1961, e depois com John Glenn, na Mercury-Friendship 7, em 1962. Sua contribuição também foi decisiva para o desenvolvimento das missões lunares do projeto Apollo e para a elaboração e construção do programa de ônibus espaciais."Max Faget foi realmente uma lenda do programa de vôos espaciais tripulados", disse Christopher Kraft, ex-diretor do Johnson Space Center. "Não há ninguém na história dos vôos espaciais, neste ou em qualquer outro país, que tenha tido maior impacto na busca do homem pela exploração espacial. Ele será lembrado na história como um dos grandes cientistas do século 20."Faget se aposentou da Nasa em 1981, depois do segundo vôo do ônibus espacial, para iniciar uma das primeiras empresas privadas do setor: a Space Industries. Ele deixa quatro filhos e dez netos.Nota do editor: Este texto foi alterado em 13/10/04, excluindo-se informação incorreta sobre o astronauta John Glenn.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.