Morre o indigenista Orlando Villas Bôas

O indigenista Orlando Villas Bôas, de 86 anos, morreu hoje às 14h27, vítima de falência de múltiplos órgãos, desencadeada por um processo agudo de infecção intestinal. A morte foi confirmada pelo hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde ele estava internado em unidade de terapia intensiva (UTI) desde o dia 14 de novembro.Boletim médico divulgado pela assessoria de imprensa do Einstein, na última segunda-feira, já indicava um quadro de falência de múltiplos órgãos. O grande último projeto em que se envolveu Villas Bôas foi a elaboração, em parceria com a Agência Estado, do livro "O Xingu dos Villas Bôas", que conta a saga dos irmãos Orlando, Leonardo, Cláudio e Álvaro em suas expedições de contato com os índios do Xingu, nas décadas de 40 e 50. A obra também é mostrada, ampliada, em um site criado pelo Portal Estadão.(http://www.estadao.com.br/villasboas/). Orlando é o último de três irmãos que lideraram a expedição Roncador-Xingu, que começou em 1943.Na viagem, tiveram contato com 14 tribos indígenas, tomando o cuidado de obter permissão dos índios para estabelecer as bases da Fundação Brasil Central, que era responsável pela expedição. Pelo trabalho, Orlando e os irmãos foram indicados para o Prêmio Nobel da Paz em 1976. O sertanista nasceu em uma fazenda de café no interior de São Paulo, em 12 de janeiro de 1914, ele deixou os estudos para ajudar a sustentar a família de oito irmãos por causa da morte dos pais. Sem completar o segundo grau, Orlando escreveu, usando material e as observações feitas na expedição, 12 livros e inúmeros artigos em jornais e revistas. Leia o boletim médico divulgado pelo hospital: O Hospital Israelita Albert Einstein informa, com pesar, o falecimento do Sr. Orlando Villas Boas, às 14h27, em decorrência de falência de múltiplos órgãos, desencadeada por um processo agudo de infecção intestinal.A diretoria da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Hospital Albert Einstein estende, nessemomento, suas condolências à família do paciente.São Paulo, 12 de dezembro de 2002. Dr. José Henrique Germann Ferreira Médico SuperintendenteDr. Sérgio Reynaldo Stella responsável pelo pacienteLeia o especial o Cacique branco do Xingu

Agencia Estado,

12 de dezembro de 2002 | 15h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.