Morre o Prêmio Nobel de Física 2003 Vitali Guinzburg

Guinzburg participou do projeto soviético de fabricação da bomba de hidrogênio

Efe,

09 Novembro 2009 | 05h55

O acadêmico russo Vitali Guinzburg, prêmio Nobel de Física 2003, morreu na noite deste domingo, 8, aos 93 anos de idade. A informação é do Instituto de Física da Academia de Ciências da Rússia.

 

O cientista era autor de mais de 400 publicações e dez monografias sobre assuntos teóricos da física, a física das estrelas, a origem e as particularidades dos raios cósmicos e a difusão das ondas de rádio.

 

Guinzburg, que participou do projeto soviético de fabricação da bomba de hidrogênio, em 1995 obteve a Grande Medalha de Ouro "Lomonosov" russa por seus estudos no campo da física teórica e da astrofísica.

 

Em 2003, ganhou o Prêmio Nobel de Física por suas pesquisas dos processos de supercondutividade em condições de temperaturas superbaixas junto com Aleksei Abrikosov e Anthony James Leggett.

 

Guinzburg foi fundador da Comissão para a luta contra a falsificação dos estudos científicos na Academia de Ciências da Rússia,e nos últimos anos acusava as autoridades russas de abandonar as pesquisas fundamentais e de comercializar a ciência.

Mais conteúdo sobre:
NobelFísica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.