Reuters
Reuters

Morre policial que protegeu João Paulo II após atentado

Francesco Pasanisi agiu como seu escudo no momento do ataque armado contra o pontífice em 1981

Efe,

21 Janeiro 2010 | 13h58

Francesco Pasanisi, o inspetor geral da Polícia italiana que ajudou o papa João Paulo II e agiu como seu escudo no momento do ataque armado contra o pontífice em 1981, morreu em Roma, informou nesta quarta-feira, 20, seu filho, Marcello.

 

Veja também:

linkAli Agca define João Paulo II como 'homem excepcional'

linkAli Agca, terrorista que atirou contra João Paulo II, deixa prisão 

 

Pasanisi, de 89 anos, morreu no último dia 18, o mesmo dia em que Ali Agca, o responsável pelo atentado contra João Paulo II, foi libertado após cumprir na Turquia uma pena por assassinar um jornalista.

 

Junto ao então capitão da Guarda Suíça, Alois Estermann, Pasanisi saltou rumo ao papa-móvel no dia 13 de maio de 1981 depois que Agca atirou em João Paulo II. Ele e Estermann ajudaram o secretário do papa, Stanislaw Dziwisz, a sustentar o corpo do pontífice, que ficou gravemente ferido.

 

O inspetor geral trabalhou na divisão da Polícia italiana encarregada da segurança do perímetro do Vaticano e da Praça de São Pedro entre 1979 e novembro de 1981.

Mais conteúdo sobre:
Joao Paulo II atentado segurança

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.