Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Morre Sune Bergstroem, Nobel de Medicina de 1982

Morreu no domingo em Estocolmo o Prêmio Nobel sueco Sune Bergstroem, de 88 anos, ganhador em Fisiologia ou Medicina em 1982, por seus estudos no isolamento, na identificação e na análise das prostaglandinas. Essas substâncias intervêm nos processos inflamatórios e estão relacionadas com a sensação de dor.Bergstroem identificou a estrutura química das prostaglandinas e descobriu como elas se formavam, tornando possíveis novos tratamentos. Na época, ao anunciar o prêmio, a Academia Sueca chamou o trabalho de Bergstroem de "revolução crucial".As descobertas, feitas na década de 1950, levaram à criação de novos tratamentos para úlcera, cólicas menstruais e também para facilitar o parto.Bergstroem, que dividiu o prêmio com o sueco Bengt Samuelsson e o britânico John Vane, morreu após uma longa batalha contra uma doença, disseram parentes à agência sueca de notícias TT. A família preferiu não dizer qual era a doença.Bergstroem foi durante anos professor de química da Universidade de Lund, no sul do país, e no Instituto Karolinska em Estocolmo, local em que foi reitor entre 1969 e 1977.No período 1975-1987, foi presidente da Fundação Nobel, que administra o testamento do industrial e mecenas sueco e o patrimônio que possibilita a entrega anual dos Prêmios Nobel. Recebeu também vários títulos honoris causa de universidades como a de Harvard e a de Chicago.Em 1985, o governo sueco lhe concedeu a medalha Ilis Quorum, a maior condecoração do reino da Suécia, por seus excepcionais serviços à nação.

Agencia Estado,

16 de agosto de 2004 | 16h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.