Mortalidade infantil entre índios supera de brancos e negros

A taxa de mortalidade infantil entre índios e brancos registrou uma diferença de 124%, segundo os números divulgados pelo IBGE. Com base no Censo Demográfico de 2000, os pesquisadores constaram que para cada 1000 crianças índias nascidas vivas, 51,4 morreram antes de completar o primeiro ano de vida.No mesmo período, a população branca apresentou taxa de mortalidade de 22,9 crianças por cada grupo de 1000. Apesar de tamanha diferença, o próprio IBGE admite que a mortalidade infantil indígena pode ter sido subestimada.De acordo com o Sistema de Informação de Atenção à Saúde Indígena (Siasi), órgão ligado à Fundação Nacional de Saúde (Funasa), do Ministério da Saúde, a mortalidade infantil indígena em 2000, mesmo período analisado pelo IBGE, chegou a 74,6 mortes nos primeiros 12 meses de vida.O índice está bem distante daquele encontrado pelo IBGE, mesmo quando confrontados exclusivamente com a população residente apenas em terras indígenas (45,9 por mil crianças nascidas vivas).  leia também  Número de índios no Brasil cresce 150% em 10 anos  

Agencia Estado,

13 de dezembro de 2005 | 11h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.