MST quer plebiscito para transgênicos

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) pediu para a comissão especial da Câmara dos Deputados, que avalia os projetos de lei no Congresso para liberação do cultivo e consumo de transgênicos, a realização de um plebiscito popular antes da votação das mudanças. "Essa questão não está sendo discutida com a sociedade, não se sabe se o povo de fato quer ter em sua mesa produtos geneticamente modificados (OGMs)", disse João Paulo Rodrigues, coordenador nacional do MST. A entidade solicita que a população envie mensagens para o deputado Confúncio Moura (PMDB-RO) para pedir a realização do plebiscito. A previsão era de que o relatório que propõem as alterações na Constituição para regularizar o plantio e consumo de OGMs fosse analisado hoje pelos integrantes da comissão na Câmara, mas isso pode ser adiado porque o presidente da comissão, deputado Carlos Alberto Rosado (PFL-RN), está em Cuba. "Temos outra preocupação com relação aos pequenos agricultores, que só poderão comprar as sementes da Monsanto?, explicou. ?A compra de sementes ficará restrita a uma multinacional, já que elas não podem ser replantadas", disse Rodrigues, que chama esse monopólio de "privatização das sementes". Segundo ele, não há pesquisas conclusivas sobre o impacto na saúde da população com o consumo de transgênicos, o que também preocupa o MST. A entidade está organizando debates com partidos, entidades e parlamentares sobre a liberalização dos transgênicos, além de elaborar um cartaz com produtos vendidos no Brasil que têm OGMs na sua composição. "Agora estamos pedindo que as pessoas enviem mensagem não só para o deputado Confúncio Moura, mas para todos os parlamentares envolvidos, porque a qualquer momento essa lei pode ser aprovada sem ter havido uma discussão com a sociedade", alertou o coordenador do MST. "Não posso comentar nada sobre esse pedido de plebiscito porque é algo que ainda precisa ser analisado pela comissão", explicou o deputado Confúncio Moura. A comissão avalia 19 projetos de lei que tramitam na Câmara. Segundo Moura, há projetos de tipificação de rotulagem e mercado, outros sobre moratória pedindo um prazo para realização de mais pesquisas antes da decisão e ainda pedindo a proibição total da pesquisa, cultivo e comercialização dos OGMs, ou a liberação imediata. "Ouvimos os mais variados especialistas nacionais e internacionais, institutos de pesquisa, entidades", rebateu o deputado. Depois de analisado e aprovado pela comissão, o relatório vai para votação no plenário. "Esperamos votar isso o mais rapidamente possível porque este é um ano eleitoral e se não adiantarmos, não conseguiremos votar esse ano. Isso está paralisando a pesquisa brasileira", completou ele.

Agencia Estado,

19 de fevereiro de 2002 | 15h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.