Mudança climática mata 150.000 pessoas por ano, diz OMS

Mudanças climáticas registradas em todo o mundo são responsáveis por 150 mil mortos a cada ano. Os países tropicais e pobres são os mais vulneráveis a tais efeitos, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). O aumento do número de mortes calculado pela organização é uma fração mínima dos 56 milhões de óbitos anuais que se registram em todo o mundo, por diversas razões. Entretanto, alguns cientistas alertam que o aquecimento global pode se agravar nas próximas décadas e recomendam estudar com mais atenção os efeitos nocivos do fenômeno para a saúde da população.Neste ano, por exemplo, uma onda de calor que atingiu a Europa no verão matou pelo menos 20 mil pessoas.A OMS calcula que para o ano 2030, as alterações climáticas poderão causar 300 mil mortes por ano. O informe da OMS, apresentado durante uma conferência da ONU, atribui ainda à modificação do clima 2,4% dos casos de diarréia e 2% dos de malária em todo o mundo. Segundo a OMS, essas porcentagens foram obtidas a partir da extrapolação do número de casos registrados em lugares como Peru e Fiji.A população mais pobre, sem condições de contar com geladeira em casa, tem mais risco de comer alimentos contaminados por bactérias devido às altas temperaturas. O resultado são intoxicações alimentares e diarréias que podem matar crianças pequenas e idosos. Os efeitos das mudanças climáticas sobre a saúde ainda não foram estudados adequadamente, segundo a OMS.

Agencia Estado,

11 de dezembro de 2003 | 20h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.