Mulher morre afogada em exorcismo na Nova Zelândia

A família sustenta ser vítima de uma maldição desde que um de seus membros roubou uma estátua indígena

Ansa,

26 de novembro de 2007 | 13h46

Uma neozelandesa morreu afogada e sua prima mais nova teve os olhos arrancados pelos parentes durante um "exorcismo" na família na tentativa de acabar com a "possessão" sobre elas. A notícia foi publicada pelo jornal local de Wellington, Dominion Post.    Janet Moses, 22 anos, teria sido ferida nos olhos e afogada com água diante de 40 parentes, durante um exorcismo realizado no mês de outubro. Exorcistas teriam também arrancado os olhos de uma prima de Janet, de 14 anos, e despejado água em sua garganta, quase até afogá-la, para liberá-la de um demônio.   A garota foi internada em estado grave em um hospital, onde foi submetida a uma cirurgia de urgência na tentativa de salvar sua visão.   A família sustenta ser vítima de uma maldição desde que um de seus membros roubou uma estátua taonga (espécie de relíquia da cultura maori). Um porta-voz da polícia limitou-se a afirmar que "está sendo realizado um inquérito por homicídio", recusando-se a comentar a notícia.

Tudo o que sabemos sobre:
exorcismodemônionova zelândia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.