Mulher que recebeu transplante de rosto deve ter alta

Jean-Michel Dubernard, médico que coordenou, no final de novembro, o primeiro transplante parcial de rosto disse que a paciente pode deixar o centro médico de Lyon, onde se recupera, em até três semanas, se nada de anormal for registrado até lá. Em seguida, deverá receber alta. Em declarações à rede de televisão France 5, Dubernard, chefe do setor de transplantes do Hospital Universitário de Lyon, onde a paciente está internada, disse que "por enquanto tudo está bem. O enxerto apresenta um aspecto normal."O médico explicou que a mulher, de 38 anos, "se alimenta normalmente" e fala melhor que antes, embora ainda necessite de sessões de fonoaudiologia e apenas caminhe pelos corredores do hospital, onde está tendo acompanhamento psicológico.O cirurgião afirmou que em até três semanas a paciente poderá deixar o centro médico de Lyon e voltar para o de Amiens, antes de ter alta.Rosto humanoDubernard assegurou que a paciente está "muito satisfeita" com sua nova face e por ter recuperado "um rosto humano" no lugar da chaga que lhe restara após o ataque de um cachorro, que a desfigurou há seis meses.O médico disse ter informado a mulher "sobre todos os riscos possíveis", e justificou sua participação no primeiro transplante do gênero no mundo. "Quando a vi, parei de duvidar. Se fosse minha filha, teria feito o mesmo", respondeu, referindo-se às críticas que recebeu pela grande repercussão do caso na mídia.

Agencia Estado,

14 de dezembro de 2005 | 00h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.