Muro das Lamentações agora recebe orações pelo Twitter

O muro, na Cidade Velha de Jerusalém, é tudo o que resta do segundo tempo bíblico dos judeus

Associated Press,

23 de julho de 2009 | 15h31

O mais sagrado local de prece do judaísmo entrou na era do Twitter. O Muro das Lamentações agora tem seu próprio endereço no serviço de microblog, o @TheKotel, permitindo que fiéis de todo o mundo tenham suas orações inseridas entre as pedras de 2.000 anos sem sair de casa.

 

O website do serviço diz que os suplicantes podem enviar suas orações pelo Twitter e elas serão impressas e levadas ao muro, onde vão se unir a milhões de bilhetes para Deus manuscritos por visitantes e deixados ali.

 

O muro, na Cidade Velha de Jerusalém, é tudo o que resta do segundo tempo bíblico dos judeus, destruído pelos romanos no ano 70. Ele fica no local onde, de acordo com a Bíblia, Salomão teria erguido o primeiro templo, que foi destruído pelos babilônios mais 600 anos antes.

 

O fundador do serviço, Alon Nil, de 25 anos, disse que teve a ideia depois da revolta no Irã com os resultados das eleições. "Percebi o potencial do Twitter", disse ele.

 

Quando o governo iraniano reprimiu os meios de comunicação tradicionais após o pleito de junho, os iranianos usaram o Twitter para partilhar informação com o resto do mundo.

Nil acompanha o Twitter como um hobby, mas diz ter a esperança de que seu pequeno serviço ajude a unir as pessoas. "Cite um país, recebi uma prece de lá", disse ele.

 

A maioria das orações é enviada via Twitter sob a forma de mensagem privada, mas Nil encoraja seus seguidores a tornar seus pedidos públicos.

 

Não há cobrança pelo serviço de levar a mensagem até o muro, mas os visitantes do site mantido por Nil, o Tweet Your Prayers, são convidados a deixar doações via cartão de crédito. O site é patrocinado por anúncios, como uma editora que faz livros de orações sob encomenda.

 

 Tweet Your Prayers abriu neste mês, mas há anos que a Western Wall Heritage Foundation opera uma linha de fax e um website para receber preces que são impressas e depositadas no muro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.