Museu da Univali recebe ossada de cachalote

O Museu Oceanográfico da Universidade do Vale do Itajaí (Univali) recebeu, hoje, a ossada de uma baleia cachalote fêmea juvenil, de 8,6 metros, encontrada morta durante o final de semana, na praia do Paraíso, em Torres, no litoral norte do Rio Grande do Sul. O curador do museu, Jules Soto, acredita que ela tenha se afogado há cerca de 10 dias numa rede de deriva, considerada ilegal por vários tratados e convenções oceânicas, incluindo a Lei do Mar, da qual o Brasil é signatário. A baleia tinha pedaços deste tipo de rede enrolados no corpo e marcas características.?As redes de deriva ou drifting nets tem centenas de quilômetros de extensão e são colocadas em alto mar, onde permanecem por longos períodos, com bóias e rádios para posterior localização. São usadas para pegar tubarões e outros peixes muito grandes, mas estão proibidas desde os anos 80 porque também capturam golfinhos, tartarugas e provocam a morte de baleias?, conta Soto, que em 1996 fotografou dezenas de golfinhos afogados por uma rede destas, na costa sul do Brasil. ?A proibição existe, mas não há ninguém no mar para fiscalizar, o que nos faz apelar aos órgãos responsáveis para que reforcem a vigilância em águas brasileiras?, diz.A ossada da baleia cachalote ? a primeira desta espécie recuperada inteira - permanecerá durante seis meses num decompositário, até soltar todo óleo que a impregna. Depois será exposta à visitação no museu, localizado em Penha, Santa Catarina. O cachalote (Physeter macrocephalus) é o maior cetáceo com dentes de todos os oceanos, chegando a medir 18 metros (macho adulto). Tem uma cabeça grande (40% do corpo) e quadrada e foi muito caçada por baleeiros interessados no espermacete e no âmbar-gris, dois produtos muito valorizados, além do óleo. O espermacete é uma substância produzida pela baleia para compensar a pressão durante os mergulhos e utilizada pelos homens em cosméticos e fármacos. O âmbar gris é retirado das vísceras e serve como base para diversos perfumes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.